Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

COVID-19
Covid-19: Treviso começa a vacinar pessoas com comorbidades

Publicado em 07/05/2021 às 08:47 - Atualizado em 07/05/2021 às 13:17

Arquivo da Prefeitura de Treviso
Créditos: Rafaela Maffioletti Baixar Imagem

Treviso deu início à vacinação contra a Covid-19 para o grupo prioritário com comorbidades, deficiências permanentes, gestantes e puérperas. A Secretaria de Saúde realizou um drive-thru na manhã de ontem, dia 6, e imunizou 36 pessoas.

 

Conforme a secretária de Saúde, Luciane Possoli, o município recebeu na terça-feira, dia 4, 100 doses do imunizante AstraZeneca/FioCruz para esta fase da campanha.

 

Como será essa fase da vacinação

 

De acordo com as deliberações da Comissão Intergestores Bibartite do Estado de Santa Catarina, na fase 1 serão vacinados, conforme a quantitativo de doses a ser disponibilizado, os grupos prioritários abaixo:

 

  • Pessoas com Síndrome de Down (18 a 59 anos);
  • Gestantes e puérperas (acima de 18 anos com comorbidades);
  • Transplantados (18 a 59 anos);
  • Pessoas com deficiência permanente cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição (18 a 59 anos);
  • Pessoas com comorbidades e deficiência permanente de 55 a 59 anos.

 

Relação das comorbidades:

  • Pneumopatias crônicas graves;
  • Hipertensão arterial resistente;
  • Hipertensão arterial estágio 3;
  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidades;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Cardiopatia hipertensiva;
  • Síndrome coronarianas;
  • Valvopatias;
  • Miocardites e Pericardiopatias;
  • Doença da aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;
  • Arritmias cardíacas;
  • Cardiopatias congênitas no adulto;
  • Prótese valvares e dispositivos cardíacos implantados;
  • Doença cerebrovascular;
  • Doença renal crônica;
  • Imunossuprimidos;
  • Hemoglobinopatias graves;
  • Obesidade mórbida;
  • Cirrose hepática;
  • Diabetes mellitus;

 

De acordo com a secretária de Saúde, com exceção dos pacientes com diabetes mellitus, as demais pessoas precisam apresentar um atestado médico para receber a vacina.  A população pode procurar as Unidades de Saúde para uma avaliação.

 

“Os pacientes com o vírus HIV que realizam acompanhamento no município serão avisados pela Vigilância Epidemiológica sobre a disponibilidade da vacina”, explicou Luciane.

 

A secretária ainda frisa que para receber a vacina a população deve aguardar as orientações dos Agentes Comunitários de Saúde.